Confesso que VIVI!!!!!!

13:56

Esse é um daqueles textos enormes, repletos de reflexão, que foram paulatinamente adicionadas. Eu sou prolixa, fazer o que? Posso começar dizendo:

Não sou santa, nem sou puta. Sou só alguem que já cansou de tentar agradar.
fiz escolhas boas e ruins e entre elas, as aventuras e loucuras que vivi. Viajei, conheci lugares, circunstanciei minhas mentiras e as fiz virar verdade de verdade, conheci pessoas, e experimentei comidas, bebidas e beijos... Me vesti de coisas desse mundo, e de outros universos pessoais. Já fiz quase tudo que eu quis, e em vida chamaram-me de muitos nomes.
Não me arrependo das loucuras que fiz, nem das aventuras. Faria de novo cada um. E tudo começou com o fim do meu casamento, e ai sim, eu comecei a viver. Eu tava morta e não sabia.
Viajei para ficar com o objeto de uma paixão louca e desesperada por um belo par de olhos verdes, e nos amamos incansavelmente muitas vezes, e quase fui presa por nos beijarmos fardados na beira da praia, e olhava no fundo daqueles olhos e valia cada segundo e o risco inteiro. Amei. Confesso. Pela eternidade de um mês amei demais, e me aventurei, porque é so o que levamos dessa vida.
Me apaixonei perdidamente e me recuperei, vivendo na busca de encontrar meu par perfeito...onde está?
Escandalizei uma cidade com os beijos apaixonados e como faziamos amor, nunca haverá quem faça igual. Lembro daquele corpo musculoso e jovem, mais jovem que eu, de pele macia e pálida em cima do meu e das lágrimas copiosas que derramei por chegar ao fim, e não me arrependo. Eu vivi! Vivi amores, vivi decepções, vivi loucuras e aventuras, Vivi, gente!!!! E ainda não parei! E não retiraria uma virgula da minha história, nem nos momentos em que perdi demais ou que sofri demais, não mudaria nada... Fiz amigos, tive amantes, fui amada, fui amante, fui feliz... Feliz sendo beijada pelo homem mais lindo, feliz sendo amada pelo que eu quis, e no fim até ser dispensada valeu a pena.
Lembro de 4 dias num hotel 5 estrelas em Brasilia, onde fizemos amor tantas vezes que eu já não tinha forças, mas ainda assim queria mais daquele homem que era naquele momento o amor da minha vida inteira, e eu jurei que seria para sempre e ele não cumpriu nossa promessa de estar comigo a vida inteira. A cicatriz enorme dessa aventura vai ficar em mim para sempre, mas eu viveria os momentos dessa aventura mais longa que todas, tudo outra vez. Três anos de amor verdadeiro que eu dediquei e não há pena nem dó, apenas um amor que ficou onde talvez devesse estar.
Viveria sem pestanejar, ganhando ou perdendo, como for, pois sou cigana, de coração e sangue, e sofrer também faz parte dessa grande odisséia que é a vida.
Conheci muitos abraços, de amores e de amigos, e derramei o meu pranto pelo que foi perdido. Mas, no fundo, eu ganhei. ganhei uma bagagem que carrego comigo e que me faz querer sempre mais: ir mais longe, mais forte, mas sempre de um jeito diferente. Não busco um alguém para dar certo... busco um alguém que ao ir embora me deixe um pouco melhor do que encontrou, por que a maior aventura ainda é e sempre será VIVER.
Cada viagem, cada estrada e cada caminho me deu um presente. Cada um deixou na minha mochila um presente que carregarei para sempre, pois meu passado, longe de ser um fardo, é um grande album onde vejo as vívidas lembranças, de onde tiro lições e aprendo um pouco mais.
Eu vivi muitas vidas em um segundo, tantas histórias que são minhas e de um monte de gente que fez parte da minha vida e outras tantas que ainda irão fazer...
Confesso, sim... Confesso que VIVI!


You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images

create with flickr badge.