Diário da Bari - O inicio do processo

11:38


A decisão de fazer a Bari, não torna nada mais fácil. A única coisa fácil, é como você se vê e como projeta seus passos. Não é um processo fácil, como tudo dentro do processo.
É simples, mas não facil.
Depois de decidir fazer a Bari, precisa passar por um calvário. Mas não desista!

Eu passei por uma imensa gama de profissionais de saúde. Endocrinologista, cirurgião gastrico, cardiologista, fisiatra, psicólogo, psiquiatra, nutricionista, fonoaudiólogo, gastroenterologista, fisioterapeuta e anestesista. Ufa.

Pra começar, aconteceu minha ida ao meu endócrino, que é fantástico, dr. Eduardo Quadros, que atende aqui em Salvador, na Clínica Mãe. Eu estou sendo acompanhada por ele, desde o início do Programa de Endocrinopatia do Planserv, coisa de uns 5 anos ou mais. Constatado, faz tempo, a patologia de diabetes mellitus, e tratando, junto com a obesidade, entre outras coisinhas que nosso corpo inventa.

Durante todo esse tempo, eu sempre respondia ao seu cumprimento do mesmo jeito: como você está? Eu: Gorda.
Resposta padrão mesmo.

Dr. Eduardo Quadros, Endocrinologista - Salvador
Meu médico numero 1!


Eu nunca gostei de ser/estar gorda. Eu tentei viver com isso, tentei manter minha auto estima, tentei estimular outras mulheres a se amar, querendo eu mesma me sentir bonita e me amar também.
Nesse dia... Ah, cara... Nesse dia, como em todas as consultas, ele perguntou o mesmo, e eu respondi o mesmo. Ele mediu e pesou, e olhou os resultados dos exames... Eu havia alcançado novamente os 3 dígitos. O açúcar, batendo limite. E essa falsa auto estima me fazia achar que eu estava na casa dos 80... Ilusão é uma merda mesmo. Foi um dia duro...
Eduardo e eu começamos uma conversa que já era antiga, de 4 anos atrás, quando comecei todo o processo para a Bari e desisti. Me arrependo um pouco, mas não tanto assim... Mas falo disso em outro post.
Sai de lá com um relatório médico indicando o procedimento, e um bom profissional.

Veja bem. Eu ainda tinha dúvidas, sabe? Mas marquei a consulta com o cirurgião. Até chegar o dia, a cabeça estava a mil.

Pensei: posso malhar mais, comer menos, tomar mais remédios... Pois me iludir é um dom que eu tenho. Sem contar com a falta da porra do apoio que recebi. Gente dizendo que era apenas vaidade e preguiça, e eu me sentindo a pior pessoa do mundo por isso, minha família me fazendo sentir culpada por fazer mais uma cirurgia. Foi do caralho. Foram dias escrotos.

A parte mais dificil do processo foi manter a cabeça no jogo, "get the head in game".

Após 15 longos dias, chegou o momento de conhecer o cara que faria a cirurgia em mim, e que fez em dezenas de outras pessoas. Dr Adriano Rios, da NTCO. Um querido. E grande profissional. Ele encaminha todo o processo, indicando os profissionais que precisam me avaliar, aqueles lá de cima.
A equipe da clinica dá todo o suporte necessário para essa caminhada.

Dr. Adriano Rios - Cirurgião
Meu borboletador - Atende em diversos lugares

Esse suporte é super necessário, pois a gente fica meio perdida, e eles dão o norte!
Na primeira semana já estava  com quase todos os exames marcados, me senti segura.
Já já conto como foi.



You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images

create with flickr badge.